BenthicLif

voltar

O objectivo do projecto é integrar a vasta experiência inovadora em sensoriamento remoto óptico activo de vários objectos (partículas de fumo, derramamentos de petróleo, etc.) da equipa do INOV, com significativo know-how da equipa do CO FCUL...

Sumário

As comunidades fitobênticas intertidais estuarinas e de zonas costeiras foram identificadas como as principais comunidades produtoras destes ecossistemas. Um dos melhores métodos de detecção remota, não destrutivos, para o estudo de comunidades vegetais é a análise de espectros de fluorescência de vegetação induzida por laser. A lenta implementação deste método pode ser atribuída ao facto de que até agora os sensores portáteis baseados na tecnologia da fluorescência induzida por laser e light detection and ranging (LIF-LIDAR) estão praticamente ausentes no mercado.

O objectivo do projecto é integrar a vasta experiência inovadora em sensoriamento remoto óptico activo de vários objectos (partículas de fumo, derramamentos de petróleo, etc.) da equipa do INOV, com significativo know-how da equipa do CO FCUL em investigação in situ de microfitobentos estuarino intertidal usando métodos de reflectância espectral e fluorescência de pulso modulado.

Um sensor portátil de LIF-LIDAR será desenvolvido com base em espectrómetro CCD disponível e um compacto e confiável laser Nd:YAG de dupla frequência, oferecendo impulsos curtos de radiação intensa composta de fotões suficientemente energéticos. Os dados espectrais fornecidos pela LIF-LIDAR, compostas de componente de fluorescência da clorofila, trarão informação sobre o estado fisiológico das algas.

O sensor portátil de LIF-LIDAR permitirá estudar e avaliar a biomassa do microfitobentos de lama e sedimentos arenosos no estuário do Tejo e, no caso das comunidades de diatomáceas epipélicas (móveis, que habitam o sedimento mais fino) monitorizar a migração das microalgas causada por ciclos diurnos e das marés e alterações nos níveis de radiação. O sensor LIF-LIDAR serão testado em condições de campo durante vários ciclos de maré. A distribuição de biomassa dos MPB será mapeada em diferentes áreas intertidais do estuário do Tejo. O sensor de LIF-LIDAR também será usado para estudar os sedimentos colonizados por diferentes macroalgas. Aqui a análise de emissão de fluorescência permitirá que os principais grupos das algas (verde, castanho e vermelho) sejam discriminados devido à sua composição de pigmentos e processos diferentes da transferência de energia da luz de pigmentos acessórios à clorofila a.

Depois disso, o sensor LIF-LIDAR será utilizado para investigação de diferentes tipos de substrato (por exemplo, lama, areia, conchas de ostras) colonizados por macroalgas. Como no estudo anterior, a distribuição de macroalgas vai ser mapeada em diferentes áreas intertidais do estuário do Tejo. Os resultados finais esperados do projecto são:

1. Projectar, construir e testar um sensor de LIF-LIDAR portátil, leve e de baixo consumo de energia para investigação de micro- e macroalgas. Desenvolver um software para controlo da operação do instrumento por computador e processamento preliminar dos sinais.

2. Estudar e mapear a distribuição de biomassa do microfitobentos sobre sedimentos vasosos e arenosos do estuário do Tejo.

3. Estudar os sedimentos colonizados por diferentes macroalgas em diferentes tipos de substrato (por exemplo, areia, lama e conchas de ostras).

4. Criar um modelo fenomenológico para a estimativa do alcance do sensor de LIF-LIDAR no processo de captura de espectros de fluorescência de micro e macroalgas. A previsão do alcance será baseada nos dados experimentais obtidos anteriormente para micro e macroalgas (verdes, castanhas e vermelhas).

voltar



Rua Alves Redol, 9 - 1000-029
Lisboa - Portugal